Seguidores

sábado, 1 de abril de 2017

Borboleta-poeta

Serei poeta por dizer em versos
O que me vem à mente liricamente?
Porque ódio e amor não são reversos
Para mim. Eu os vivo intensamente!

Serei poeta pelos choros adversos
Que tenho, por essa gente carente?
Porque me esvaio por ideais diversos
E a inspiração deixa a dor mais latente!

Não sei se o sou, pelo choro que invento,
Porque me torno em muitos sentimentos.
Só não sei mais se sou, ou não, poeta!

Mas sou poeta ao compor este soneto,
Pois ponho alma e coração em dueto!
E aqui sinto que meu EU se completa. 

Elen de Moraes