Seguidores

quarta-feira, 10 de maio de 2017

NA PRIMEIRA LUZ DA AURORA

O ar estava quieto
Um ou outro gorjeio no silêncio.
Parei os sentidos para ouvir o tempo.
Sem mover-me.

Sem nenhum ruído
Segui os passos dos meus pensamentos,
cautelosa, pela trilha aberta, caminhei.

Segui em silêncio.
Nos minutos passados a ansiedade presente.
Pelas frestas de meus olhos surgiu
a primeira luz da aurora.

Passeavam diante de meus olhos
meus maiores sonhos.
Quimeras queridas e não realizadas
que me diziam da possibilidade do impossível...

Sem realizá-los sou incompleta,
preciso continuar a obra da vida,
produzir loucamente,
dar-me de presente a paz do outono,
pois a vida é vivida em retrospecto,
ainda que eu a viva para a frente.

Escolho viver.Viver os riscos.
Sem peia nem teia,
Escolho a alegria, o sorrir....
Escolho o amor que há em mim!

Escolho arriscar,
experimentar,
sem ter certeza de nada...

Quero é aprender, chorar, sofrer, crescer,
quero me envolver, saber viver e morrer,
quero o sorriso da pálida lua que se despede
com a primeira luz deste amanhecer.


(Delasnieve Daspet)